Home Sem categoria Todos pela Construção do II Fórum Pela Paz Com Justiça Social e por uma Assembleia Nacional Constituinte na Colômbia
Todos pela Construção do II Fórum Pela Paz Com Justiça Social e por uma Assembleia Nacional Constituinte na Colômbia
0

Todos pela Construção do II Fórum Pela Paz Com Justiça Social e por uma Assembleia Nacional Constituinte na Colômbia

0

imagem

AO POVO BRASILEIRO

TODOS PELA CONSTRUÇÃO DO II FÓRUM PELA PAZ COM JUSTIÇA SOCIAL E POR UMA ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE NA COLÔMBIA.

Caros companheiros e companheiras do Brasil, militantes de esquerda e democratas, recebam uma fraternal saudação.

Convidamos a todos e todas a se somarem à construção do II FÔRUM PELA PAZ COM JUSTIÇA SOCIAL NA COLÔMBIA, em um importante momento de ascensão das lutas sociais e populares nesse país, no qual se está possivelmente vivendo o maior avanço dos últimos tempos, forjando a unidade de diversas correntes políticas e ideológicas, para a construção de uma nova Colômbia em paz com justiça social, democracia e soberania, e apontando para a superação das causas estruturais (políticas econômicas e sociais) de uma guerra que atinge e sangra o povo colombiano há mais de 50 anos.

No mês de maio de 2013 realizamos o I FÔRUM PELA PAZ, na cidade de Porto Alegre, em uma iniciativa da Marcha Patriótica (organização ampla, plural, na qual confluem mais de 2.000 organizações com um espectro de forças colombianas que lutam pela paz com justiça social, democracia e a soberania), junto a mais de 30 organizações políticas e movimentos sociais do Brasil. O evento contou com aproximadamente 1.000 participantes de mais de 100 organizações políticas e sociais de toda a América Latina, especialmente do Cone sul, destacando-se a participação de vários parlamentares desta região e da Europa.

Nesse fórum surgiram várias propostas para a ação de solidariedade com as lutas do povo colombiano e particularmente se deu um respaldo total ao processo de paz que segue seu curso em Havana, entre as FARC-EP (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo) e o Estado colombiano, tendo na presidência atualmente Juan Manuel Santos Calderón.

Hoje, continuamos insistindo na necessidade de dar a conhecer a importância desse diálogo para todos os povos de latino-américa. Fazendo ênfase nas demandas do conjunto do movimento social e popular, na participação ativa, ampla e direta do povo nesse processo, na necessidade cessar fogo bilateral, nas garantias políticas e de respeito aos direitos humanos para a mobilização do povo, e de ampliar esse diálogo a outras forças insurgentes na Colômbia, como o ELN (Exército de Libertação Nacional) e o EPL (Exército Popular de Libertação).

Dentre as propostas que foram feitas, destacamos a realização de uma primeira visita de solidariedade pela paz com justiça social na Colômbia, na qual participaram diversas organizações do Brasil e da Europa. Os participantes tiveram a oportunidade de conhecer parte da realidade de nosso povo, das lutas das organizações camponesas, estudantis, indígenas, de trabalhadores, negros, mães de filhos presos políticos, entre outras, assim como dos partidos e movimentos políticos, e das plataformas de unidade. E daí surgiu a iniciativa de realizar um II Fórum pela paz com justiça social na Colômbia.

O aprofundamento dos diálogos de paz e da necessidade de criar as bases para uma Colômbia com transformações políticas, econômicas e sociais, emerge a ideia de uma Assembleia Nacional Constituinte (ANC), que possibilite as condições para avançar na consolidação dos instrumentos democráticos para que o povo seja o ator fundamental e artífice das mudanças.

Por isso, não podem parar na Colômbia as mobilizações, as passeatas, as justas paralisações e greves dos trabalhadores da cidade e do campo, de estudantes, indígenas, negros, do conjunto do movimento social e popular colombiano.

Mas, tampouco pode parar o acompanhamento e solidariedade internacional, que é uma garantia importante, fundamental para que continuem os diálogos, para que se ampliem e se ponha ponto final à estratégia paramilitar e ao terror das forças do Estado.

É por isso que estamos convocando todas as organizações democráticas, progressistas, de esquerda e das mais diversas correntes políticas do Brasil e do Cone Sul que defendem as liberdades democráticas e o respeito aos direitos humanos a construir o II Fórum.

Propomos debater e construir o tema e formato desse II Fórum para que efetivamente difunda ainda mais a realidade social colombiana, que é ocultada, negada e/ou distorcida pela grande mídia na América Latina e em todo o mundo, e seu impacto na realidade regional e continental.

O II Fórum pode definir caminhos e propostas que possibilitem um aprofundamento na solidariedade concreta com as lutas do povo colombiano e entre nossos povos irmãos em temas tão relevantes como direitos humanos (na Colômbia há desaparecimentos forçados, prática de extermínio físico, mais de 9.500 presos políticos submetidos à tortura, tratamentos cruéis, desumanos e degradantes), a criminalização do movimento popular, o deslocamento interno e a migração forçada, a reforma agrária, os cultivos de uso ilícito, dentre outros.

De maneira geral é importante construir uma agenda de solidariedade pela vida, a paz com justiça social, democracia e soberania na América Latina. Em particular queremos discutir os impactos de uma saída política ao conflito social e armado na Colômbia e as possibilidades de uma ANC popular e democrática. Mas, para isso precisamos somar esforços em todos os campos, trabalhando na informação, a organização e o acompanhamento das lutas sociais tanto nas instâncias institucionais como a partir dos partidos políticos, movimentos sociais e organizações em geral, na qual os brasileiros possam de maneira coletiva e diferenciada oferecer suas contribuições para este processo.

A luta do povo colombiano e suas possibilidades de alcançar a paz com justiça social e por uma constituinte democrática, é uma luta de todos os povos da América Latina, porque é, junto com a Venezuela, um dos principais baluartes das lutas contra o imperialismo no continente!

Esperamos sua participação na próxima reunião de preparação do II fórum, na sexta feira 01º de agosto, às 17:30h no Sindicato dos Advogados, rua Abolição, 167, Bela Vista (local por confirmar) – São Paulo.

Até a vitória, seguimos em marcha pela segunda e definitiva independência, da Colômbia e América Latina toda!

Marcha Patriótica Capítulo Brasil

Comissão Internacional da Marcha Patriótica

Apoiam:

Brigadas Populares.

Cebrapaz.

Movimento dos Pequenos Agricultores.

Organização Comunista Arma da Crítica.

Partido Comunista Brasileiro.

Partido Comunista do Brasil.

UJC.

Unegro.