c Nota de Solidariedade à Militância do Levante Popular da Juventude e Mídia Ninja Pela Prisão Ocorrida no Dia 24/01 em Porto Alegre – UJC
Home Notas Politicas Nota de Solidariedade à Militância do Levante Popular da Juventude e Mídia Ninja Pela Prisão Ocorrida no Dia 24/01 em Porto Alegre
Nota de Solidariedade à Militância do Levante Popular da Juventude e Mídia Ninja Pela Prisão Ocorrida no Dia 24/01 em Porto Alegre

Nota de Solidariedade à Militância do Levante Popular da Juventude e Mídia Ninja Pela Prisão Ocorrida no Dia 24/01 em Porto Alegre

0

A luta organizada não é crime!
Todo apoio às lutas contra o Golpe e as medidas do governo usurpador!

Ao final do dia 24/01, na cidade de Porto Alegre, 26 manifestantes vinculados ao Levante Popular da Juventude foram detidos pela suposta realização de ações criminosas. Destes, 13 foram encaminhadas ao presídio feminino Madre Pelletier, e 3 ao Presídio Central.

Nós, da União da Juventude Comunista, somos radicalmente contrários à tentativa de criminalização dos movimentos populares que ocorrem no país sempre que vamos às ruas lutar pelos direitos do povo trabalhador e manifestamos nossa indignação às classes dominantes. Essas perseguições agravam-se com o avanço do golpe que colocou um governo puro sangue no poder.

As grandes mídias e os aparelhos repressivos do Estado tentam veicular estas ações como oriundas de associações criminosas com objetivo de imposição do terror. Repudiamos essa forma de tratar os movimentos populares! Querem que aceitemos calados os cortes drásticos de direitos e todas as medidas impopulares em curso no Brasil. Por isso bradamos, com firmeza: a luta organizada não é crime!

Pelo contrário, a luta organizada é um direito histórico conquistado pelas trabalhadoras e pelos trabalhadores. No entanto, enquanto a justiça for aliada das classes dominantes, este direito nunca será pleno. A seletividade de nosso sistema penal é evidente, e só coloca na cadeia o povo pobre, majoritariamente negro, e aquelas e aqueles que lutam pelos direitos das classes populares.

A militância comunista sabe o que é perder, ao longo da história, inúmeros camaradas, militantes dos anos de chumbo, por perseguições policiais e todo tipo de tortura. Lutaremos até o fim para a defesa das liberdades democráticas no Brasil, na construção do Poder Popular e rumo a uma sociedade sem classes: a única forma de colocar a justiça nas mãos dos trabalhadores. Por todas e todos que já tombaram no caminho não aceitaremos de forma alguma a criminalização de quem for às ruas em luta.

Ousar lutar, ousar vencer!
Coordenação Nacional da UJC – Brasil