c Acesso às bolsas na UNICAP é direito dos estudantes – UJC
Home Movimento Estudantil Acesso às bolsas na UNICAP é direito dos estudantes
photo_2020-08-20_17-09-02

Acesso às bolsas na UNICAP é direito dos estudantes

0

Nota política do MUP-PE

Acesso às bolsas é direito dos estudantes!

A partir do dia 12 de Junho de 2020, a Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) anunciou, através de suas páginas e site oficiais, a abertura das inscrições para o Vestibular 2020.2. Vestibular esse que teve a seleção realizada pela nota do ENEM (exame nacional do ensino médio), disponibilizando 1.696 vagas para 37 cursos oferecidos e, também, 300 bolsas de inclusão social e racial de 50% e 100% para os mesmos. O processo, contudo, para se ter acesso a essas bolsas, se provou bastante burocrático e prejudicial para os candidatos.

Inicialmente, a instituição exigiu como taxa de inscrição a quantia de R$ 100,00 para alunos de escolas particulares e de R$ 50,00 para aqueles advindos de escola pública ou escolas particulares com bolsas de 100%. Isso sem levar em consideração como o valor, mesmo reduzido à metade, é custoso para as pessoas que necessitam de uma bolsa para conseguir estudar na instituição e, ainda, ignorando o período de pandemia no qual estamos inseridos, causado pelo COVID-19, que aprofundou a crise política e econômica brasileira afetando bastante a renda da classe trabalhadora. Apenas após a articulação do Coletivo Quilombo Marielle Franco, composto por estudantes negras e negros da UNICAP, foi concedida a isenção da taxa de inscrição para as pessoas em condição de hipossuficiência. O coletivo também manteve um longo e desgastante trabalho voluntário, auxiliando aqueles e aquelas que estavam tentando ingressar na instituição durante todo o processo de seleção das bolsas e denunciando o descaso da universidade para com esses.

Após a realização do Vestibular da instituição utilizando a nota do ENEM, foi iniciada a avaliação de quais estudantes poderiam ter acesso a bolsa, porém, não bastando o dinheiro cobrado na inscrição, as pessoas aprovadas ainda tiveram que se deslocar para a universidade para a entrega de documentos, gastando mais com o transporte e sendo expostas ao risco de contaminação pelo COVID-19. Durante todo o período de recebimento de documentos e avaliação, inúmeros candidatos denunciaram como a UNICAP manteve uma postura burocrática, elitista e racista,

de forma que não fornecesse informações evidentes e objetivas para todos. Esse tratamento, ainda, potencializa a situação de risco à contaminação, na medida em que as candidatas e candidatos tiveram que retornar diversas vezes para entregar uma infinidade de diferentes documentos por não terem sido bem informados pela universidade. Toda a entrega da extensa documentação exigida ou a complementação da mesma ocorreu em um prazo de apenas 5 dias, mostrando, novamente, que a postura burocrática adotada pela universidade teve cunho danoso na renda e nas condições físicas e psicológicas daquelas e daqueles que estavam exaustivamente se locomovendo de partes distantes da cidade e do interior do estado na tentativa de conseguir uma bolsa. Isso sem falar das e dos candidatos que tiveram gastos significativos com os documentos exigidos que ultrapassaram orçamento familiar.

Além de toda situação degradante, o completo descaso da UNICAP se mostrou, mais uma vez, na forma como a lista geral de aprovados no vestibular e, posteriormente, nas listas de contemplados com bolsa foram divulgadas. Na lista de pessoas que foram contempladas com bolsa existem nomes que não constavam na lista geral de aprovados no vestibular, assim como existem candidatos nessa lista geral com apenas o primeiro nome publicado. Outra situação foi a de candidatos que, apesar de não aprovados no vestibular, tiveram concessão de bolsa, sendo esses candidatos brancos aprovados para bolsa racial e duplicidade de candidatos beneficiados. Segundo a universidade, todas essas situações foram devidamente corrigidas, contudo, fica clara a falta de compromisso com a construção de procedimentos seguros e que demonstrem transparência e isonomia para com os avaliados.

Diante de todos esses abusos cometidos contra as filhas e filhos da classe trabalhadora, a Universidade Católica de Pernambuco, com uma constante postura de autopromoção em relação às bolsas, na realidade, revelou seu caráter intrinsecamente racista e capitalista enquanto instituição privada, tornando direitos conquistados com muito esforço pela classe estudantil e destinados a assegurar a entrada de mais estudantes negras/os e de baixa renda na universidade em uma série de procedimentos exaustivos. Os acontecimentos na universidade demonstram como o ensino superior privado no Brasil evidencia uma forte lógica

racista de mercantilização da educação, sendo essa cada vez mais voltada ao lucro, havendo, assim, um constante esforço para que a classe trabalhadora não tenha acesso a educação e, quando se tem, é mediante muito esforço. Sendo assim, nós condenamos tais práticas, nos solidarizamos com todas/os as/os prejudicadas/os pela UNICAP e reafirmamos nosso posicionamento em defesa de uma Universidade Popular. Uma universidade que atenda as necessidades do povo e da soberania nacional, que paute a redução das mensalidades, em defesa dos/as estudantes bolsistas e da assistência estudantil, bem como contra a precarização do ensino com o EaD e pelo cumprimento do isolamento social, sem que isso custe nossos bolsos e nossas vidas.

Fontes:

http://www.unicap.br/assecom1/inscricoes-do-vestibular-2020-2-comecam-nesta-seg

unda-feira-15-de-junho/

http://www2.unicap.br/vestibular/wp-content/uploads/2020/06/EDITAL-2020-2-REVIS ADO.pdf

http://www2.unicap.br/vestibular/wp-content/uploads/2020/08/Listao-ALFA_Outros_ Cursos.pdf

https://www1.unicap.br/wp-content/uploads/2020/07/Edital-Ato-de-Convocacao-DAS. pdf

http://www2.unicap.br/vestibular/wp-content/uploads/2020/02/ATO-CONVOCAT%C3 %93RIO-C%C3%B3pia-1.pdf