Home Estados A repressão não vai parar nossa luta
A repressão não vai parar nossa luta
0

A repressão não vai parar nossa luta

0

Ontem na Alesp quatro pessoas foram detidas e várias foram agredidas em uma manifestação contrária à privatização da Sabesp durante a votação desse projeto. A ganância e a pressa daqueles que querem operar a venda dos serviços públicos de SP não pode passar por cima do direito da classe trabalhadora protestar contra essas medidas.

Vivian Mendes, Ricardo Renese, Lucas Cervente e Hendrlly Luiz foram feitos presos políticos. E fazemos agora uma vigília no 27° DP de São Paulo, na região do Campo Belo, em defesa dessas lutadoras e lutadores, e convidamos todos a fortalecer essa batalha. O acesso da advogada está sendo dificultado e há uma tendência a continuar atrasando nossa luta. Em breve ocorrerá também a audiência de custódia no Fórum da Barra Funda.

Vamos crescer o movimento a ponto de libertar esses camaradas e mobilizar a nossa classe para barrar a venda dos nossos serviços básicos! Querem privatizar a água! Ou barramos isso agora, ou o Governo Tarcísio e sua base aliada terminarão de vender o que sobrou de empresa pública. As pessoas agredidas na Alesp e detidas no 27° DP estavam lutando pelas trabalhadoras e trabalhadores que não querem ver sua conta de água aumentando, que se preocupam com a crise climática, com os monopólios capitalistas, com a venda da nossa água.

Os capitalistas já transformaram em mercadorias quase tudo ao nosso redor, e agora avançam contra o bem mais importante para a reprodução da nossa e das outras espécies da terra, que é a água. As empresas que mais consomem água da torneira em São Paulo (as grandes fábricas de bebidas) querem controlar nossa água doce em benefício de seu próprio lucro.

O plebiscito popular que construímos nos últimos meses nos terminais de ônibus, nas estações de metrô, nas favelas, ocupações e praças, comprovou que a população de São Paulo é contra a venda dos nossos serviços.

A UJC São Paulo presta total solidariedade às pessoas reprimidas ontem na Alesp e continuará construindo o movimento contra as privatizações. Não é prendendo nossos aliados que esse governo fascista vai nos intimidar.

07 de dezembro de 2023

Coordenação Regional da UJC São Paulo