c Universidades Estaduais Paulista: expansão sem investimentos – UJC
Home Educação Universidades Estaduais Paulista: expansão sem investimentos
Universidades Estaduais Paulista: expansão sem investimentos
0

Universidades Estaduais Paulista: expansão sem investimentos

0

Via: UJC-São Paulo

Como mostrado em postagem anterior, sequer os 9,57% da Quota-Parte Estado(QPE) do ICMS são repassados às Universidades Estaduais Paulistas.[1] Mas isso não é a única política deliberada de precarização do ensino superior público do estado de São Paulo.

De 2002 aos dias de hoje, as três estaduais paulistas expandiram seu número de campi:
– A Escola de Engenharia de Lorena (antiga FAENQUIL) foi incorporada à USP com promessas de aumento de 0,07% do repasse do ICMS-QPE que nunca foi cumprida[2]
– O campus da Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp em Limeira foi construído com promessas de aumento de 0,05% do repasse da QPE que também nunca ocorreu.[2] [3] O cumprimento do acordo firmado por Geraldo Alckmin (PSDB) inclusive era pauta dos estudantes do campus em greve ano passado. [4]
– Na UNESP, 8 novos campi foram criados sem que houvesse sequer algum acordo de aumento do repasse do ICMS-QPE.[5]

A expansão sem investimentos, invariavelmente acompanhada da precarização, fica ainda mais gritante quando avaliamos a variação dos números de docentes, funcionários técnico-administrativos e alunos de graduação e pós das três universidades estaduais paulistas entre 1995 e 2016[6] :

-A quantidade de docentes teve um crescimento ínfimo 8,8%
-A quantidade de funcionários técnico-administrativos diminuiu 10%
-A quantidade de cursos de graduação aumentou 102%
-A quantidade de alunos de graduação aumentou 93%
-A quantidade de cursos de pós-graduação aumentou 57%
-A quantidade de alunos de pós-graduação aumentou 101%

Novamente devemos dizer: isso não ocorre por falta de recursos! Isso ocorre porque é assim que se deseja que seja feito. O ensino superior público não passa por uma crise, este é exatamente o projeto de universidade que a classe dominante quer. A expansão sem recursos da Universidades Estaduais paulistas as fazem cada vez mais reféns da iniciativa privada e cada vez mais distantes das demandas da população. 

Na imagem o campus da Faculdade de Ciências Aplicadas da Unicamp, em Limeira, inaugurado em 2009.

Fontes:
[1]https://www.facebook.com/ujcsaopaulo/photos/a.490199031107304.1073741828.487179644742576/1191712014289332
[2]https://www.imprensaoficial.com.br/Certificacao/GatewayCertificaPDF.aspx?notarizacaoID=496b95aa-0584-4e6b-b81a-2d0488ed0a6d
[3]http://www.unicamp.br/unicamp/noticias/2016/05/23/comunidade-universitaria
[4] http://cartacampinas.com.br/2016/06/estudantes-da-unicamp-ocuparam-hoje-o-escritorio-da-reitoria-de-limeira/
[5] https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8695 
[6] https://drive.google.com/open?id=0B-qiMN4CxFCVcWduTmJ0bmYyNVE