c Nota Política da UJC-DF Contra as Declarações da Rede Globo – UJC
Home Notas Politicas Nota Política da UJC-DF Contra as Declarações da Rede Globo
Nota Política da UJC-DF Contra as Declarações da Rede Globo
0

Nota Política da UJC-DF Contra as Declarações da Rede Globo

0

No dia 14/01, última quinta-feira, foi a ao ar no DFTV, telejornal local da emissora Globo em Brasília, uma reportagem que noticiava o grande número de estudantes da rede pública no DF que acessaram a Universidade de Brasília – UnB, por intermédio do Programa de Avaliação Seriada (PAS). O número de estudantes é de 861 alunos, representando 42% do total de aprovados (maior número de alunos da Rede Pública aprovados na história do PAS) e destes 861, 93% foram pelas cotas sociais e/ou raciais. Para o pensamento reacionário da Globo, representado nas declarações de seu comentarista local Alexandre Garcia, o fato de que parte expressiva dos aprovados serem cotistas representa uma ataque a “meritocracia” e que tais estudantes – nas palavras do comentarista – se valeram de um “pistolão”, “empurrãozinho”, se referindo as cotas, e que “estes não possuem mérito para ali estar”.

Para nós comunistas, antes mesmo de analisarmos as declarações supracitadas, cabe parabenizar o expressivo êxito dos estudantes da Rede Pública, não apenas por atingirem o maior número na história do PAS, mas também por que foi em 2015, ano passado, que de forma absurda o Governo Distrital (PSB) cortou o recurso que assegurava a isenção de pagamento da taxa cobrada para se inscrever no exame, e mesmo assim tivemos um aumento no número de aprovados.

As declarações de Garcia não possuem nenhum compromisso com a verdade. O sistema de cotas, cuja UnB, juntamente com a UERJ, foram pioneiras em sua implementação a mais de uma década, possui total legitimidade constitucional como declarou o STF ADPF 186/2012, pesquisas e estudos sobre a questão já comprovam que o desempenho dos cotistas é superior, em números absolutos, ao dos que entraram pelo sistema universal na UnB. Destarte fica evidente que tais declarações são puramente ideológicas, e que seu intuito é unicamente o de iludir a consciência dos trabalhadores e da juventude periférica. Declarar-se contra as cotas é querer o retrocesso de um mecanismo de acesso a Universidade, garantido por lei, que tem como foco a juventude pobre, negra e marginalizada, ou seja, a maioria dos estudantes de escolas públicas, e que mesmo com seu caráter de classe é insuficiente para resolver o que se propõe. Essa ideologia da rede Globo apenas tem o compromisso com os privilégios dos ricos e abastados, sem nenhum benefício para os trabalhadores e seus filhos e filhas, que de longe representam a maioria da sociedade, e também a maior parte do público da emissora.

Também condenamos veementemente o silêncio do grupo político Aliança pela Liberdade, que possuindo a gestão de um instrumento político o DCE – UnB HONESTINO GUIMARÃES, nada declarou sobre o ocorrido, tema que foi de grande repercussão e interesse dentro e fora da comunidade acadêmica, expressando assim, de um lado o caráter despolitizado que possui o grupo, e por conseguinte, a atual gestão do DCE (instrumento político), e por outro seu compromisso com os interesses da ordem e a perpetuação de uma universidade elitizada. Em política não há neutralidade!

Nós da UJC, para além das cotas, lutamos pela construção de uma Universidade Popular, sem exames para o acesso ao conhecimento humano, na qual exista as condições efetivas de permanência dos estudantes de periferia, e que o conhecimento produzido seja totalmente voltado para os interesses e avanços na vida dos trabalhadores!

UJC ousar lutar, ousar vencer!

Lutar, Criar UnB Popular!