c Nota em repúdio à expulsão do corpo diplomático venezuelano no Brasil – UJC
Home Internacional Nota em repúdio à expulsão do corpo diplomático venezuelano no Brasil
Nota em repúdio à expulsão do corpo diplomático venezuelano no Brasil
0

Nota em repúdio à expulsão do corpo diplomático venezuelano no Brasil

0

NOTA EM REPÚDIO À EXPULSÃO DO CORPO DIPLOMÁTICO VENEZUELANO NO BRASIL

Neste 29 de abril de 2020, o Comitê Brasileiro pela Paz na Venezuela repudia frontalmente a expulsão de 28 oficiais diplomáticos venezuelanos do Brasil. O governo Bolsonaro protagoniza, mais uma vez, o papel de marionete do imperialismo dos Estados Unidos ao expulsar todo o corpo diplomático venezuelano do Brasil e, em seu lugar, instalar uma comitiva golpista em nome do povo venezuelano em Brasília.

Reiteradas vezes este Comitê denunciou as escaladas de ataques do bloco imperialista, liderado pelos Estados Unidos, contra a soberania e autodeterminação do povo venezuelano. Em conluio com as empresas petrolíferas e bancos internacionais, o governo dos Estados Unidos promove uma brutal colonização, saqueando e bloqueando os territórios ricos em matérias primas, gerenciando uma verdadeira partilha da soberania das nações. Subserviente aos Estados Unidos, o governo Bolsonaro comporta-se como funcionário de Trump e mais uma vez alimenta o golpismo imperialista em nossa região.

Bolsonaro destroça qualquer possibilidade de paz dentro e fora do Brasil. Com a expulsão dos diplomatas soberanamente indicados pelo governo legítimo de Nicolás Maduro, colocando em seu lugar um grupo ilegítimo, o governo Bolsonaro viola simultaneamente a Constituição brasileira, a Convenção de Viena e a Carta das Nações Unidas. A violação do Direito Internacional no tratamento com a Venezuela acaba por violar a soberania e a autodeterminação do povo venezuelano.

O que ganha o povo brasileiro ao atendermos aos pedidos de Washington? Em vez de resolver o acúmulo das crises econômicas, políticas, sociais e, sobretudo, sanitária, que já soma mais de 78 mil infectados e 5 mil mortes em função do covid-19, o governo Bolsonaro desperdiça tempo e recursos públicos para reforçar seu papel de funcionário do governo Trump.

Diante disso, o Comitê Brasileiro pela Paz na Venezuela, as entidades e pessoas abaixo assinadas rechaçam energicamente a conduta vassala e genocida do governo Bolsonaro ao expulsar o corpo diplomático venezuelano legítimo do Brasil. Aos 28 irmãos e irmãs venezuelanas, toda a nossa solidariedade! Estamos com vocês e repudiamos este governo servil de Bolsonaro.

São Paulo, 29 de abril de 2020

ASSINAM (enviar assinaturas até 30 de abril para paznavenezuelabr@gmail.com)

ORGANIZAÇÕES:
1. ACJM/BA – Associação Cultural José Martí da Bahia
2. ACJM/RJ – Associação Cultural José Martí do Rio de Janeiro
3. ACJM/RS – Associação Cultural José Martí do Rio Grande do Sul
4. Afronte Juventude Sem Medo
5. Agrupación Política Nacional Gaucho Antonio Gil de Argentina
6. Arma da Crítica
7. Barão de Itararé – Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé
8. Brigadas Populares
9. Capítulo Brasil do Comitê Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos
10. CCT – Célula Comunista de Trabalhadores
11. CDC – Coletivo Democracia Corinthiana
12. CEBRAPAZ – Centro Brasileiro de Solidariedade Aos Povos e Luta Pela Paz
13. CEPSBR – Centro de Estudos da Política Songun do Brasil
14. CMP/RS – Central dos Movimentos Populares do Rio Grande do Sul
15. Coletivo À Esquerda da Praça
16. Coletivo Abrebrecha
17. Coletivo Comunicação Popular – PT
18. Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro
19. Comitê Anti-imperialista General Abreu e Lima
20. Comitê Carioca de Solidariedade a Cuba
21. Comitê da Palestina Democrática – Brasil
22. Comitê de Solidariedade aos Povos e pelo Socialismo (Ceará)
23. Comitê Gaúcho em Solidariedade ao Povo Venezuelano
24. Comité Internacional Lula Libre
25. Comitê Mineiro de Solidariedade a Revolução Bolivariana – MG
26. Comitê Popular Ipanema Leblon
27. Conselho Mundial da Paz
28. Conspiração Socialista
29. Consulta Popular
30. CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil
31. IBRASPAL – Instituto Brasil-Palestina
32. JCA – Juventude Comunista Avançando
33. Juventude Socialista
34. Levante Popular da Juventude
35. MAB – Movimento dos Atingidos por Barragens
36. MAM – Movimento Pela Soberania Popular na Mineração
37. MCP – Movimento Camponês Popular
38. MMC – Movimento de Mulheres Camponesas
39. MMM – Marcha Mundial das Mulheres
40. Movimento Democracia Direta – Paraná, Brasil
41. Movimiento Popular La Dignidad de Argentina
42. MPA – Movimento dos Pequenos Agricultores
43. MPP – Movimento de Pescadores/as Artesanais do Brasil
44. MPSC – Movimento Paulista de Solidariedade à Cuba
45. MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra
46. PCB – Partido Comunista Brasileiro
47. PCLCP – Polo Luiz Carlos Prestes
48. PJR – Pastoral da Juventude Rural
49. PT – Partido dos Trabalhadores
50. Resistência PSOL
51. TRAVESSIA – Coletivo Sindical e Popular
52. UBM – União Brasileira de Mulheres
53. UJC – União da Juventude Comunista
54. UP – Unidade Popular pelo Socialismo
55. Whatcom Peace and Justice Center

INDIVIDUAIS:
56. Acácia C. Reis de Andrade Brito
57. Afonso Florence, deputado federal (PT-BA)
58. Alexandre Padilha, deputado federal (PT-SP)
59. Antero Luiz Martins Cunha, jornalista e advogado
60. Aparecida Klebis Jeronymo
61. Augustus Rubens Oliveira Nazareno
62. Carlos Lopez, coordinador nacional de la Agrupación Política Nacional Gaucho Antonio Gil de Argentina
63. Carlos Veras, deputado federal (PT-PE)
64. Carlos Zarattini, deputado federal (PT-SP)
65. Cláudio Barros
66. Edmundo Aguiar
67. Eliete Ferrer, professora e coordenadora do Grupo Inimigos do Império
68. Elisangela Aparecida da Rocha, sou professora e pesquisadora
69. Francis Mary Guimarães Nogueira, pesquisadora sobre a Educação na Venezuela (Unioeste-PR)
70. Francisco Manoel de Assis França (Kico CEBRAPAZ-PR)
71. Gilberto Carvalho, ex-ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República do Brasil
72. Glauber Braga, deputado federal (PSOL-RJ)
73. Gleisi Hoffman, deputada federal (PT-PR)
74. Humberto Costa, senador (PT-PE)
75. Ivone Souza, presidenta baiana da ACJM e CEBRAPAZ
76. João Daniel, deputado federal (PT-SE)
77. José Guimarães, deputado federal (PT-CE)
78. Lucimar Mangueira
79. Lucinara Braga
80. Marcelo Chalréo, advogado e membro do Conselho Executivo da Associação Americana de Juristas
81. Marcon, deputado federal (PT-RS)
82. Margarida Salomão, deputada federal (PT-MG)
83. Maria do Rosário, deputada federal (PT-RS)
84. Maria Luiza Franco Busse, jornalista
85. Maria Onete Lopes Ferreira
86. Mauro Lúcio Neto de Moraes
87. Natália Bonavides, deputada federal (PT-RN)
88. Nilto Tatto, deputado federal (PT-SP)
89. Nilza Pereira
90. Orlando Silva, deputado federal (PCdoB-SP)
91. Padre João, deputado federal (PT-MG)
92. Paulão, deputado federal (PT-AL)
93. Pedro Miranda
94. Raul K. M. Carrion, historiador e presidente da FMG-RS, ex-Deputado Estadual do Rio Grande do Sul
95. Roberto Ponciano
96. Rogério Correia, deputado federal (PT-MG)
97. Romi Márcia Bencke, pastora y parte del Consejo Nacional de Iglesias Cristianas de Brasil
98. Rosilei Vilas Boas (CEBRAPAZ-PR)
99. Rubens Otoni, deputado federal (PT-GO)
100. Sayid Marcos Tenório, historiador e escritor e secretário-geral do Instituto Brasil-Palestina
101. Sebastião Rodrigues Gonçalves
102. Soraya da Silveira Franke
103. Tânia Gerbi Veiga
104. Valmir Assunção, deputado federal (PT-BA)
105. Vereador Toninho Vespoli (PSOL-SP)
106. Zeca Dirceu, deputado federal (PT-PR)
107. Zora Motta