c Nota de Apoio e Solidariedade as Ocupações das Escolas no Espírito Santo – UJC
Home Educação Nota de Apoio e Solidariedade as Ocupações das Escolas no Espírito Santo
Nota de Apoio e Solidariedade as Ocupações das Escolas no Espírito Santo
0

Nota de Apoio e Solidariedade as Ocupações das Escolas no Espírito Santo

0

Via UJC Capixaba

Nós da União da Juventude Comunista – UJC, diante da atual conjuntura de ataques aos direitos da classe trabalhadora, compreendemos as ocupações das escolas como demonstração do quanto à juventude tem seu potencial de intervenção na sociedade, e assim demonstrando sua indignação com o atual governo que busca retirar nosso direito a educação, nosso senso crítico e nos excluindo dos espaços políticos decisórios para apenas nos tornar força de trabalho para o capital.

As ocupações não são mera suspensão de aulas, é necessário analisar que as ocupações se deram principalmente contra a PEC 241 (que para tramitar no Senado Federal agora passar a ser PEC 55). A Proposta de emenda complementar – PEC propõe o congelamento de todos os gastos primários do orçamento da união por 20 anos (hoje cerca de 40,43% desse orçamento da união vai para amortização de dividas e juros, e o demais vai para gastos com saúde, educação, assistência Social, transferência para os municípios e previdência social), porém com a PEC 55 esses gastos com saúde, educação, assistência e previdência serão congelados, para o pagamento de dividas e juros da própria dívida, é como se o Brasil parasse no tempo por 20 anos e mesmo que o cenário atual mude, que a população cresça e envelheça durante esses 20 anos, não irão mudar esse congelamento. A PEC ainda prevê uma revisão daqui 10 anos, mesmo assim iremos perder anos de investimentos em saúde, educação, assistência e previdência.

No Espírito Santo as ocupações começarão no dia 21 de outubro, já se somam mais de 60 escolas ocupadas, incluindo alguns campus do IFES que também foram ocupados por estudantes. Importante ressaltar que as escolas ocupadas foram principalmente as das periferias onde são os locais que os estudantes mais sofrem na pele com o descaso com a educação pública, sofrendo com o sucateamento das escolas, redução de vagas e fechamento de turmas principalmente do EJA (Educação de Jovens e Adultos).

O Governo do Estado na figura de Paulo Hartung (PMDB) demonstra como não sabe dialogar com os estudantes, e exercendo apenas o papel de executor das políticas neoliberais, ditas como “enxugamento da máquina estatal”, teve seu principal meio de propaganda da educação, o chamado “Projeto Escola Viva”, que na verdade é um projeto que já nasceu morto, ocupado por estudantes da mesma instituição. Assim desmascarando todos os descasos que Hartung teve e tem com a educação pública.

As ocupações vêm exercendo um papel importante nesta luta que é grande e árdua, porem não é impossível vencer. Os estudantes secundaristas lutam ainda contra a MP 746/2016 que propõe a reforma do Ensino Médio de forma totalmente antidemocrática, e contra o PL 867/2015 Projeto Escola Sem Partido, mais conhecido como “Escola Com Mordaça”. Damos total apoio a resistência dos estudantes e reforçamos a importância da classe trabalhadora compor essa luta junto com suas filhas e seus filhos, pois juntos poderemos lutar conta a PEC 55 e as demais medidas anti povo do Governo Temer e seus aliados.
Nossa luta não termina nas ocupações, estas são apenas mais um processo de nossa luta contínua para superação do sistema capitalista.

Nada a Temer!
Ousar Lutar, Ousar Vencer!
Juventude que ousa lutar, Constrói o Poder Popular!