c Mobilização da Juventude para a Mudança Social – UJC
Home Sem categoria Mobilização da Juventude para a Mudança Social
Mobilização da Juventude para a Mudança Social
0

Mobilização da Juventude para a Mudança Social

0

Declaração da Liga da Juventude Comunista de Israel (agosto 2011)

Mobilização da Juventude para a Mudança Social

Declaração da Liga da Juventude Comunista de Israel (agosto 2011)

A grande onda de manifestações que está varrendo Israel no último mês e meio, incluindo uma demonstração de 300.000 manifestantes em Tel-Aviv em agosto, apresentou uma mensagem muito clara: a classe trabalhadora de Israel, e os jovens em particular, revoltaram-se contra o aumento dos preços da habitação e de produtos básicos, e não concordam mais em aceitar silenciosamente a um sistema social que trabalha contra o interesse da grande maioria, e para os interesses de poucos.

Este movimento de protesto social, caracterizado pela criação de milhares de acampamentos de protesto em todo o país, é liderado por jovens, e levanta demandas que atendam às necessidades da população em geral, mas também especificamente as necessidades dos jovens e estudantes.

A onda de revoluções nos países árabes, que viu o desencadeamento de energia criativa, contra a opressão e a pobreza, e para a democracia e  justiça social, atingiu a Europa, onde os jovens saíram às ruas na Espanha, Grécia e em outros lugares. Agora, estamos  assistindo a uma luta similar em Israel: os jovens, muitos dos que estiveram adormecidos e passivos, estão agora  tomando interesse pela política, mobilizando-se maciçamente nas ruas, e estão debatendo democraticamente a estratégia e a tática deste movimento .

A Liga da Juventude Comunista de Israel (YCLI) tem apoiado este movimento de protesto desde o seu início, por ele expressar os interesses da grande maioria dos jovens em Israel, judeus e árabes. Nosso compromisso com a mudança social, e nossa vasta experiência na organização de quadros e das massas, significa que os nossos camaradas estão na liderança de muitos acampamentos de protesto, e também estão presentes na liderança nacional do movimento.

Nós temos uma responsabilidade especial na ampliação do escopo do movimento de protesto, trazendo-o para a periferia do país, aos bairros pobres dentro das grandes cidades e em cidades pequenas, distantes das áreas metropolitanas. Isso é mais evidente nas cidades e aldeias árabes, onde somos uma organização chave nesta recente onda de luta, levando as iniciativas de construção de acampamentos de protesto e organização de manifestações.

Como parte integrante desta jovem, vibrante, dinâmica e crescente mobilização social, nós levantamos demandas imediatas, que incluem:

– Jovens casais não conseguem comprar um apartamento. YCLI luta por projetos habitacionais do governo, inclusive em cidades e aldeias árabes, e subsídio de hipotecas (como foi o caso até os anos 1980, quando os planos Neoliberais de austeridade foram adotados).

– Universidade e os estudantes universitários não podem pagar um aluguel alto. YCLI luta para que os municípios adotem regras que coloquem um limite máximo para os aluguéis, para impedi-los de subir. Além disso, o governo deveria financiar mais dormitórios  em universidades e faculdades, para permitir que os estudantes possam viver perto de onde estudam.

– O custo de vida está em ascensão, mas os salários mensais permanecem constantes. Como resultado, mais e mais trabalhadores, especialmente os jovens trabalhadores que estão empregados em empregos precários, não pode fazer face às despesas. YCLI exige do governo que intervenha e corrija os preços dos produtos alimentares básicos, para o gás, transporte público, eletricidade e água, e forneça uma ajuda de custo de vida mensal para cada trabalhador.

– Cidades e aldeias árabes enfrentam uma aguda crise de moradia, que se manifesta por falta de licenças de construção e confisco de terras. YCLI exige uma parada imediata do confisco de terras, e um retorno de terras confiscadas no passado. Planos diretores regionais e locais para as cidades e aldeias árabes deve alocar áreas para o desenvolvimento de habitação e alvarás de construção deve ser dadas numa base de igualdade. A brutal política de demolições de casas, que o governo está dirigindo não apenas contra palestinos nos territórios ocupados, mas também contra os cidadãos palestinos de Israel, deve ser abolido, incluindo os chamados “povoados não reconhecidos” de tribos beduínas no sul de Israel.

Além destas – e outras – reivindicações imediatas, YCLI contribui para a luta no plano ideológico e no político.

Ideologicamente, podemos afirmar, com base em nossa perspectiva marxista-leninista, que esta luta social, em essência, é entre duas classes e duas visões de mundo: Por um lado, as perspectivas do primeiro-ministro Netanyahu de um mundo capitalista, que se manifesta em benefícios para os ultra-ricos, e em ataques contra os direitos dos trabalhadores e estudantes, sob os slogans da privatização e da “economia de mercado livre”; Por outro lado, a nossa visão de mundo socialista, que defende uma sociedade igualitária, pacífica e socialmente justa, que irá respeitar os direitos sociais, civis e nacionais.

Politicamente, a nossa contribuição para esse movimento social é dupla:

Primeiro, nós insistimos em fazer a conexão entre a ocupação em curso do povo palestino, e os enormes custos sociais, econômicos e morais que a sociedade israelense tem que pagar para mante-los. Nossa posição de que a luta pela justiça social se confunde com a luta pela paz, está se tornando mais aceita, com as pessoas percebendo que as centenas de milhões de Shekels que atualmente são gastos na construção de assentamentos e no aumento do orçamento militar, poderiam ter sido gastos na construção de jardins de infância , escolas, hospitais e bibliotecas.

Em segundo lugar, ressaltamos que o sucesso deste movimento só poderá ser alcançado através da adoção de uma unidade judaico-árabe. O movimento precisa tratar abertamente os problemas específicos dos cidadãos árabes de Israel (que representam mais de 20% de sua população), e deve criar uma estreita cooperação, em grande escala, entre jovens judeus e árabes. Este tipo de cooperação pode ajudar a consolidar um público mais amplo que apóie nossa luta por igualdade civil, nacional e completa para a minoria árabe-palestino dentro de Israel.

O movimento de protesto levou ao ativismo uma ampla camada de jovens, judeus e árabes, contribuíram para a sua politização, e presenteou-os com uma perspectiva de mudança social profunda. Como tal, é uma luta fundamental que nós, como Jovens Comunistas, temos a necessidade não só de estudar e analisar, mas também de mergulharmos nela, envolvendo os nossos quadros e simpatizantes, contribuindo na consolidação de uma perspectiva clara sobre como fazer avançar a luta. Fazendo isso iremos contribuir para a causa da paz e do Socialismo, o que acreditamos que irá prevalecer.

Para entrar em contato com a YCLI:  ycl.israel @ gmail.com