c Dia da saúde: a necessidade de uma saúde coletiva e popular – UJC
Home Estados Dia da saúde: a necessidade de uma saúde coletiva e popular
Dia da saúde: a necessidade de uma saúde coletiva e popular

Dia da saúde: a necessidade de uma saúde coletiva e popular

0
PCB e UJC, em parceria com MTST, realizam atividade em ocupação urbana do Recife

Via: UJC Pernambuco 

No domingo (21/05) o Partido Comunista Brasileiro (PCB) e a União da Juventude Comunista (UJC), em parceria com o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto de Pernambuco (MTST-PE), organizaram o “Dia da Saúde” realizado na ocupação urbana do MTST “Carolina de Jesus”, no bairro do Barro em Recife-PE.

A ação, que contou com planejamento conjunto entre ocupantes, militantes e simpatizantes do PCB e da UJC – (Núcleo Nise da Silveira), organizou atividades de alongamento, aferimento de pressão, atendimento médico ambulatorial, atendimento psicológico, atendimento veterinário, oficinas sobre a produção de fitoterápico e saúde bucal, rodas de diálogo que abordaram temáticas como: violência doméstica, educação sexual e alimentação. Ainda ocorreu em paralelo campeonato de futebol na rua e oficina de desenho e “contação de histórias” para os pequenos lutadores. Para finalizar as atividades, contamos com apresentação cultural do camarada do PCB, Benoni Codácio “Novo”.

O planejamento e organização de ações como esta parte das dificuldades concretas que os trabalhadores e trabalhadoras tem de acessar serviços de saúde, sobretudo as frações da classe trabalhadora que tem o acesso negado, pelo ímpeto voraz da acumulação capitalista, à moradia, educação, trabalho, entre outros. Este tipo de ação também cumpre com importante papel nos(as) camaradas que estão na universidade, pois coloca a necessidade explicita do conhecimento de cada um(a) estar a serviço da classe trabalhadora e não as necessidades do mercado, na perspectiva de construção de uma Universidade Popular.

 A saúde não é mera ausência de doenças, é um processo socialmente determinado, onde a dinâmica da luta de classes será decisiva na relação do processo saúde/doença das classes. Os ataques ao sistema de proteção social que permeou os governos conciliatórios petistas são agora agravados, e o Sistema Único de Saúde (SUS) sofre com o subfinanciamento crônico, que será aprofundado ainda mais com o congelamento do financiamento público, oriundo da aprovação da PEC 55 e outras medidas de retirada de direitos das e dos trabalhadores. Associado a isso, cresce o número de desempregados, sem teto, sem educação, de trabalhadores e trabalhadoras sem certeza do futuro. É esse processo de precarização que rege a vida da classe trabalhadora atualmente, impondo condições degradantes de vida e de desgaste da força de trabalho, que sem dúvida, caracterizam a sociedade capitalista como uma “sociedade dos adoecimentos” da classe trabalhadora.

Longe de uma visão fatalista, o Dia da Saúde na ocupação “Carolina de Jesus” nos mostra a necessidade de avançar na organização de ações nos locais de moradia, ações estas, que além de realizar atividades assistenciais, largamente necessárias pelas condições de vida da nossa população, abordem e favoreçam a organização dos trabalhadores e trabalhadoras por melhores condições de vida, trabalho e saúde na perspectiva de construção do Poder Popular.

Por uma Saúde Coletiva e Popular!

Contra as Reformas da Previdência e Trabalhista!

Saúde não é Mercadoria!

Pelo Poder Popular!