c Declaração de Solidariedade à Revolução Bolivariana da Venezuela ante as manobras intervencionistas da Organização dos Estados Americanos. – UJC
Home Internacional Declaração de Solidariedade à Revolução Bolivariana da Venezuela ante as manobras intervencionistas da Organização dos Estados Americanos.
Declaração de Solidariedade à Revolução Bolivariana da Venezuela ante as manobras intervencionistas da Organização dos Estados Americanos.
0

Declaração de Solidariedade à Revolução Bolivariana da Venezuela ante as manobras intervencionistas da Organização dos Estados Americanos.

0

A Federação Mundial das Juventudes Democráticas condena a nova tentativa da Organização dos Estados Americanos (OEA), na figura de seu Secretário Geral, Luis Almagro e de chefes de Estado de governos pró-imperialistas, de levar a cabo ações que atentam contra a soberania e a estabilidade a República Bolivariana da Venezuela para derrotar a Revolução Bolivariana e, com isso, acabar com as conquistas sociais, econômicas, políticas e culturais alcançadas em favor do povo venezuelano.

Historicamente, a OEA tem servido aos interesses do imperialismo norte-americanos. A legitimação de invasões a países como Cuba, Nicarágua, Panamá ou República Dominicana é apenas uma pequena amostra de sua trágica história como organização.

No século XXI, no qual a América Latina e o Caribe tem experimentado importantes transformações sociais, políticas e econômicas lideradas e conduzidas por governos e processos políticos revolucionários, populares, progressistas e democráticos, tem se demonstrado a capacidade da região em avançar em sua integração e união, com o nascimento de espaços multilaterais como a ALBA, a UNASUL e a CELAC, para defender seus verdadeiros interesses e seguir aumentando progressivamente sua independência do domínio e controle do imperialismo norteamericano.

No atual contexto local, vem se construindo uma correlação de forças que aponta para a consolidação da recomposição imperialista na região. Apesar disso, as forças populares estão resistindo e enfrentando essas novas agressões que atentam contra seus direitos, conquistas e reivindicações.

A nova tentativa de aplicar na Venezuela a “Carta Democrática Interamericana”, instrumento da OEA que busca marcar o país como lugar onde tem existido uma ruptura com a institucionalidade e com a ordem democrática, manipula e distorce a realidade atual da nação venezuelana e tenta repudiar o governo bolivariano na tentativa de criar condições favoráveis na opinião pública internacional para legitimar uma intervenção militar direta.

Desde 1998, com o triunfo das forças revolucionárias, populares e democráticas e do Comandante Hugo Chávez e o início da Revolução Bolivariana, os ataques e agressões imperialistas contra a soberania e autodeterminação do povo venezuelano tem sido constantes.

As atuais pretensões da OEA e demais ações promovidas pelo imperialismo também visam retomar o controle dos vários e enormes recursos naturais venezuelanos, entre eles as maiores reservas de petróleo do mundo. Também buscam liquidar os diferentes processos de integração e união regional.

A FMJD rechaça toda tentativa de intervenção sobre a independência e soberania da Venezuela, assim como as agressões contra o povo venezuelano. Apoiamos a juventude bolivariana, o movimento popular e os trabalhadores que estão lutando contra o imperialismo.

A Venezuela não está só!

Por uma América Latina livre e independente!

 

Birô de Coordenação

Abril de 2017