c Declaração da FMJD sobre os últimos ataques terroristas – UJC
Home Internacional Declaração da FMJD sobre os últimos ataques terroristas
Declaração da FMJD sobre os últimos ataques terroristas
0

Declaração da FMJD sobre os últimos ataques terroristas

0

A Federação Mundial das Juventudes Democráticas condena veementemente os ataques terroristas ocorridos durante a semana passada.

Primeiro foi o dia 3 de abril, no qual o povo de São Petersburgo encarou a brutalidade de um ataque terrorista no qual foi utilizado um dispositivo explosivo. O ataque ocorreu no metrô de São Petesburgo, entre as estações Sennaya Ploshland e Tekhnologichesky Institut. Sete pessoas (incluindo o autor do ato) morreram na hora, e outras sete morreram mais tarde em razão dos ferimentos que sofreram, somando 14 mortos. Outras 45 pessoas foram feridas no incidente.

Mais tarde, em 7 de abril, o povo de Estocolmo se viu debaixo do perigo de um ataque terrorista depois de um caminhão se chocar contra uma multidão em ruas pela cidade. Quatro pessoas morreram e 15 ficaram feridas.

Os últimos ataques terroristas ocorreram no Egito e a responsabilidade foi assumida pelo Estado Islâmico. Pelo menos

27 pessoas morreram devido a uma explosão dentro de uma igreja na cidade nortista de Tanta, outras 78 terminaram feridas. Informações mais recentes estipulam que o número de mortos subiu para, pelo menos, 49.

A Federação Mundial das Juventudes Democráticas gostaria de expressar seu apoio às famílias das vítimas dos ataques mencionados. A FMJD também ressalta que os ataques são considerados contra toda a população da Rússia, Suécia e Egito. A experiência nos determina que esse tipo de ataques são feitos que proporcionam o terror contra o povo, ao mesmo tempo que reforçam medidas repressivas e a xenofobia. De maneira geral, as forças extremas da reação se utilizam desses ataques para seu benefício próprio e, consequentemente, mais problemas e dificuldades são criadas para os emigrantes e refugiados.

A FMJD convoca a toda a juventude do mundo para enfrentar o terrorismo incorporando-se à luta anti-imperialista, já que solidariedade e amizade entre os povos são elementos comuns nessa luta. O terrorismo tem, na verdade, aberto ainda mais espaço para intervenções imperialistas. A resposta deve ser a amizade entre os povos a construir a paz em um mundo sem descriminação, com igualdade e equidade. Os povos devem, unidos, se afastar de perigosas ideologias reacionárias.

 

Budapeste, 13 de abril de 2017. Birô Coordenador da FMDJ