c CURSO DE FORMAÇÃO POLÍTICA – UJC
Home Sem categoria CURSO DE FORMAÇÃO POLÍTICA
CURSO DE FORMAÇÃO POLÍTICA
0

CURSO DE FORMAÇÃO POLÍTICA

0

imagem

 UJC – PARAIBA

A União da Juventude Comunista (UJC) – Paraíba convida todos àqueles que tenham interesse em entender melhor o passado do nosso país e as experiências culturais que aqui ocorreram/ocorrem a participar do curso de formação política sobre “A política cultural dos Comunistas no Brasil”

“Qual a influência que o movimento comunista teve/tem na cultura brasileira? Teatro, cinema, literatura, artes plásticas… Foram cenários de atuação dos comunistas? Quem foram Jorge Amado, Graciliano Ramos, Nelson Pereira, Leon Hirszman, Gianfrancesco Guarnieri e tantos outros que fizeram da arte uma arma em prol da classe trabalhadora? Qual nosso papel hoje na construção de uma política cultural que tenha como objetivo fortalecer os trabalhadores com vistas à destruição da sociedade capitalista?”

A POLÍTICA CULTURAL DOS COMUNISTAS NO BRASIL: CINEMA, TEATRO E LITERATURA

Prof. Dr. Romero Venâncio (UFS)

Dia: Sábado 04 de agosto

Horário: Início às 9:00, Termino programado às 17:00.

Local: Centro de Ciências da Saúde (CCS), sala 802. Universidade Federal da Paraiba – UFPB. João Pessoa – Paraíba

Contato: ujcparaiba@gmail.com / www.facebook.com/ujc.pb

ROTEIRO:

I. Notas para uma definição de cultura comunista. Debatendo com um texto de Islavoj Zizek

II. Os comunistas e o cinema novo brasileiro: a situação de Nelson Pereira dos Santos e Leon Hirszman

III. A literatura “regional” e a causa comunista: Jorge Amado e Graciliano Ramos

IV. O teatro vai à classe trabalhadora: G. Guarnieri e Oduvaldo Viana Filho

V. O debate atual sobre uma política cultural dos comunistas: retomando um debate e abrindo outro…

BIBLIOGRAFIA

FREDERICO, Celso. A política cultural dos comunistas. In: História do marxismo no Brasil. Vol. III. Editora da UNICAMP, 1998.

ZIZEK, Slavoj. Notas para uma definição de cultura comunista. In: ArteFilosofia. N. 08, Ouro Preto, 2010.

FILMES/PEÇA:

– Rio 40 graus; Vidas Secas (Nelson P. dos Santos)

– Eles não usam Black-tie e São Bernardo (Leon Hirszman)

– Eles não usam Black-tie (G. Guarnieri)