Home Movimento Estudantil A Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) começa o primeiro semestre de 2017 com mais cortes.
A Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) começa o primeiro semestre de 2017 com mais cortes.
0

A Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) começa o primeiro semestre de 2017 com mais cortes.

0

Após uma redução de 47% do investimento na universidade em 2016, neste ano o corte se repete. No inicio deste semestre o cardápio do restaurante universitário já foi alterado, reduzindo as opções de carne de duas para uma e de salada de quatro para duas opções, além de retirar a sobremesa e o fim do serviço de guarda-volumes. Em 2016, o RU já vinha tendo seu cardápio reduzido. No segundo semestre do ano passado, o suco e o feijão deixaram de ser servidos.

Os efeitos da redução aparecem em outros setores dentro da universidade: A assistência estudantil, que no ano passado foi recusada a vários alunos, está sendo revista para este ano ainda sem previsão de data para cadastramento/recadastramento.

Em seu primeiro ano do uso do SISU como método de entrada a universidade, com uma nova leva de estudantes de outros Estados, sem a assistência estudantil a permanência dos estudantes ficará prejudicada sem o auxilio de transporte, material, moradia e refeição.

O serviço de limpeza também é outro setor prejudicado, antes a limpeza do campus era feita diariamente, agora passará a ser feita semanalmente. Lembrando que os serviços de limpeza é efetuado por uma empresa terceirizada e com isso precarizando ainda mais esses trabalhadores que estão sofrendo com mudança de função, e correndo risco de não receber o salário mensal.

Também serão afetadas as obras do campus, compra de equipamentos e o numero de funcionários como motoristas, seguranças, funcionários do teatro universitário e do RU.
É o sucateamento das universidades publicas, é a falta de estrutura da universidade de cumprir com o ensino, pesquisa e extensão. O ataque do governo ao setor publico e o claro favorecimento a privatização.

A UJC luta pela universidade popular. Pela melhor estruturação da universidade, pelo restaurante universitário de livre e gratuito acesso a toda comunidade acadêmica e pela ampliação dos recursos destinados à assistência estudantil, acompanhada da desburocratização do acesso aos programas.

Em defesa da universidade publica!
Contra os cortes na educação!
Nenhum direito a menos!
Ousar lutar, ousar vencer!